30 de maio de 2016

Cansei de ser Panda!



Decorria o ano de 1854 quando eu comecei a minha busca pelo corretor ideal para as minhas olheiras. Não vos vou mentir, são poucas as pessoas que conseguem olhar-me nos olhos sem ficar com as perninhas a tremer se eu não tiver 7 kg de corretor em cada olheira. É coisinha para criar traumas e danos irreversíveis somente amenizados com psicoterapia e gelado. Sou, portanto, uma espécie de ogre. Um ogre-panda.
Já usei Sephora, Kiko, Catrice, Estée Lauder e curiosamente os mais baratuchos sempre resultaram melhor. Coincidência.  No entanto ficava sempre aquela sombra acinzentada por baixo de toda a maquilhagem que me fazia parecer que não andava a dormir ou que andava a devorar criancinhas ao pequeno-almoço. 

Terminados TODOS os corretores que tinha em casa, pedi conselho a uma amiga e lá fui eu em passo de corrida à MAC. Sempre achei que seria aquela loja em que mal eu entrava e toda a gente percebia que eu era o elefante numa loja de porcelanas que não percebe nada da arte cerâmica. Neste caso na arte de me fazer parecer uma pessoa. Enganadíssima.
Testámos os corretores mais pesados e várias cores de cada um. No final ainda aplicamos iluminador por cima da área para que ficasse tudo muito natural e bem disfarçadinho.

Trouxe comigo o Studio Finish Concealer e nunca usei nada semelhante a isto. A minha cor é a NW25 (o autobronzeador está a fazer efeito!!!) e a sua textura em creme é de uma aplicação tão fácil que nem quis acreditar. Aplico e esbato com o dedo anelar mas acho que também fica super natural com esponja. Havia o risco inerente de ficar muito pesado e acumular nas linhas mas o mais interessante é que nada disso acontece. O único aspeto que tenho a apontar é que tende a desvanecer um pouco durante o dia mas a sua reaplicação é muito simples e não fica cakey. Não o larguei mais. 7 gramas de paraíso num pote.

Querendo voltar a ter aquele ar radiante, poucos dias depois fui buscar o Prep+Prime Highlighter. O meu tom é o Medium Plus. São os compinchas perfeitos e já não consigo usar o corretor sem o iluminador por cima. Continuam sem acumular nas linhas e a duração aumenta exponencialmente. Aguentam-se no sítio por 12 horas sem me fazer passar vergonhas.
É uma caneta semelhante ao Touche Éclat da YSL e o acabamento muito natural que confere à pele já me fez ter a epifania de que seremos BFF's. O tubinho traz 3.6 ml de milagre mas parece-me que me vai durar algum tempo, mesmo com aplicação diária! 

Para as meninas que sofrem com as suas olheiras quer durmam 2 ou 12 horas a minha dica é que dêem uma chance à MAC. Sentem-se numa cadeirinha e deixem que as colaboradoras façam acontecer coisas lindas. 
O Studio Finish custa 18,50€ e o Prep+Prime Highlighter 26€ nas lojas MAC deste país.


Uma semana radiante!
MariaDaniela

25 de maio de 2016

Vontades de Massimo Dutti

Só há pouco tempo abri os meus horizontes (e a carteira, admitamos) para a Massimo Dutti. Achava que devia ser tudo estupidamente caro e muito sem graça, sem detalhes.
O pior foi até me apaixonar pelo casaco mais fofo e quentinho do mundo, a partir daí tenho tido sempre as coleções todas debaixo de olho. Dos dois!
E a prova de que encontramos sempre coisas lindas por lá segue já já de seguida!


Saia aqui e top aqui


Sandálias aqui


Top aqui


Vestido aqui


Mala aqui


Top aqui


Vestido aqui

Blazer aqui


Óculos de sol aqui


Colete aqui


Confesso que mais do que ir passear ao site da marca e ficar a babar pela maioria das peças, há sempre espaço para ver os modelitos e a conjugação das peças (que, diga-se em plenos pulmões é mil vezes melhor que a que é feita para o site da Zara). 
As coleções nunca estão repletas de cor, são mais neutras, abusam dos castanhos (ninguém deste lado adora castanho! ninguém!! ahah), as conjugações são muito simples no entanto muito elegantes e confortáveis. Pudesse eu e era MD da cabeça aos pés!
Pronto e agora falam vocês: costumam gostar das coleções da marca? São clientes? Não vivem sem?!
Ah, maravilha!

Um beijo,
MariaDaniela

23 de maio de 2016

Open Minded

Tal como muitas de vocês que estão desse lado, sou extremamente criteriosa em quase tudo na vida. Acho que muitas vezes, sem dar conta, abuso nos critérios ao ponto de criar preconceitos. O fim de semana passado provou-me exatamente isso.
Fui exposta a um ambiente que não me é familiar, rodeada de centenas de pessoas que não conhecia e que, nesta cabecinha pensadora, tinha tudo para correr mal. 
Acabei por passar grande parte do tempo com uma rapariga da minha idade que não tem rigorosamente nada que a assemelhe a mim e a única questão é que correu tudo tão bem que ainda me custa a acreditar que não estive sempre a olhar para o relógio. 
Se a tivesse conhecido noutro contexto muito possivelmente teria "descartado" logo a possibilidade de nos darmos, mas ao estar desprotegida a coisa fluiu de forma muito natural. 
E é isso que me tem dado que pensar. Que preciso muito de abrir os olhos e a cabeça. Já me formatei demasiado para conhecer pessoas com interesses semelhantes aos meus, com postura e sonhos que andam ali no de dedinhos entrelaçados com os meus. Agora que dou uma vista de olhos, haverá coisa mais aborrecida?


20 de maio de 2016

# não somos todos fashion advisers

Não há como evitar a moda e as tendências. Simplesmente não dá. 
Podemos estar a procurar peças para o carro, a ver a notícia do Zé da Horta que matou a prima, a avó e a ovelha porque não encontrava o par daquela meia, podemos estar só na paz do Senhor a curtir o vácuo que somos abalroados pelo camião "5 mega tendências desta estação", "Saiba como parecer super rica só com peças da Primark", "Saiba bué da coisas sobre moda". 

Portanto, dada tanta importância aos trapinhos em que nos enfiamos todos os dias, obviamente teriam de aparecer os experts, os entendidos, os watch and learn.
Há os que compram uns diplomas e frequentam aulas por forma a validar os conhecimentos que vendem a peso de ouro. Depois há os que sabem realmente do que falam, mas sobre esses não tem graça dizer umas alarvidades. 

Os fashion advisers querem por o mundo a vestir-se como deve ser e, se puder ser, querem por o mundo a contribuir para a sua conta bancária. Eu também queria, mas não tenho talento nenhum que possa vender. Sim, eu sei, nem eles.
Bem, vocês sabem que eu não tenho bom fundo portanto vão deixar-me particularizar a situação, certo?

18 de maio de 2016

Favoritaços #2

De vez em quando a nossa rotina muda, ou porque a pele precisa de outros cuidados, ou porque ainda não encontramos O produto ou simplesmente porque nos dá um gostinho especial ir experimentando coisas novas.
A prever os dias e noites mais quentes, renovei a minha simples rotina de rosto e cabelo para que não aconteçam muitas desgraças. Os novos produtos pelos quais me rendi de amores são estes.



16 de maio de 2016

Gostar de Bola é ridículo.



Gostar de futebol é ridículo. "Ser" de um clube, discutir táticas e contratações é ainda mais ridículo.
Ficar ofendido de cada vez que nos dizem que toda a gente do "nosso" clube devia falecer é o cúmulo do ridículo.
Só que no meio deste monte de coisas ridículas há sempre valores e lições a retirar cirurgicamente.
Em cada época (e esta última tem sido tão riquinha) há uma avalanche de lições de moral, de ética, de falta dela, de tudo o que o dinheiro compra e de amor à camisola.

Têm noção do quão ridículo é que se criem laços com jogadores que saem do "nosso" clube e ainda assim os apoiemos com o mesmo carinho? E que nos sintamos traídos com a saída do treinador para o clube rival?

Escrevo-vos este texto sábado, dia 14, sem saber como vai acabar. Tenho o coração nas mãos. 

13 de maio de 2016

Produtos Acabados #4

Acho sempre que devo partilhar quando encontro algo muito bom e algo muito mau a preços baixos. Ou para que aproveitem também ou para que não caiam no mesmo erro que eu. Conselhos de big sister, portanto. ahah
Vamos lá a isto!

Tirei foto e deitei as embalagens fora. Só depois é que vi a bela nódoa que aqui ficou. Desculpem. O tempo escuro não tem ajudado nada. Deixo os links abaixo para mais informações. 


11 de maio de 2016

Mãe, deixei as boas maneiras aí em casa!



Pois que esta boa amiga que vocês aqui fizeram passou por uma situação traumática que nem tão cedo apagará do seu tecido nervoso. (Não, o camadão de porrada que apanhei no hipermercado de que vos falei aqui nem se chega aos calcanhares disto que aí vem.)
Como é do conhecimento de vossas excelências, o país anda a viver sob ameaça de Semanas Académicas e outras com nomes diferentes mas que significam todas o mesmo terror: adolescentes mais bêbedos do que aquele frango velho que atafulhamos em cerveja para amaciar. 
Eu, que estou a viver uma experiência avassaladora mas que ainda me há-de valer um prémio literário, partilho casa com um estudante com vida social ativa. Já adivinham o que aí vem, certo?

9 de maio de 2016

Não te avisaram que ser Mulher era isto.

Não tenho nenhuma veia feminista mas achei que devia deixar aqui algumas considerações.
Ser mulher é maravilhoso, só que ainda tem muito que se lhe diga.

- Não te prepararam para os timings.
Ter uma carreira tão sólida como os teus glúteos (ginásio 4x por semana, sim?!), bem casada com um doutor ou engenheiro e um pequeno repolho antes dos 30. Vá, na loucura até aos 35. A partir dos 40 os sorrisos que te dirigirem já serão de alguma pena. 
Espera-se que sejas inteligente e não percas nenhum ano na escola, que estejas sempre no topo mas que a tua libido seja controlada. O que é que os teus vizinhos achariam se trocasses de namorado com a mesma facilidade com que lascas uma unha?!



6 de maio de 2016

Pouca pele à mostra.

Quando comecei este blog tinha muito certinha na minha cabeça a linha condutora das publicações: textos, inspiração e dicas para miúdas com as mesmas inseguranças que eu.
Admito que me fui dispersando e não me arrependo da generalidade de assuntos que já por aqui passaram, no entanto hoje quero voltar ao princípio.
Como eu, há muitas raparigas que simplesmente não gostam de mostrar as pernas. Ou porque a coxa é grossa, ou porque o problema é do joelho para baixo, porque têm um, dez ou vinte quilos a mais, pelas estrias ou celulite. Entendo a insegurança porque tenho convivido com ela toda a minha vida. 
Não vale muito a pena vir-vos vender que somos todas bonitas (porque somos!) e que o sentido da vida é usar minissaia. Não é. E se não se sentem preparadas para usar roupas curtas é simples, não usem. O vosso desconforto ia notar-se à distância!
Mas não precisamos de deixar o verão passar-nos ao lado. As minhas sugestões são para que deixem um pouquinho de pele à mostra mas sempre com conforto, discrição e elegância.


4 de maio de 2016

Tudo o que falta dizer sobre viver no Algarve.

- Viver no Algarve é uma porcaria.

Viver no Algarve tem aquele encanto esquisito. Podemos começar pelas pessoas, que são elas que fazem os sítios. Já vivi em algumas cidades algarvias e conheço muitas mais de visita.
Nas cidades mais turísticas onde já vivi foi onde mais perdi a esperança na Humanidade. Aliás, posso dizer que a maior dose de porrada que levei na vida foi num hipermercado, em Portimão. Entre encontrões e pressão com o carrinho de compras, isto foi coisinha para não só me marcar a alma (com traumas profundos) mas também o corpinho (nódoas negras em todo o lado!). O bom humor e as boas maneiras são tantas vezes questionáveis que muitas vezes não sabia se as pessoas não sorriam por lhe faltar um dente da frente ou por acharem que a relé não merecia esse esforço da sua parte.
A juntar a esta gente de bem com o mundo chega aquele tipo de turista que tem a melhor filosofia do mundo: bajulem-me que eu estou a dar-vos do meu dinheiro. Sim, por cada compra no Pingo Doce, o Algarve pula e avança. Há mesmo um estudo que garante que por cada lasanha congelada que se compra no Continente, um algarvio enriquece. 
Não chegando o ar carrancudo dos residentes e a impaciência dos turistas, as autarquias contribuem para o amor à região da melhor forma que sabem. Fora a época balnear, certas cidades ficam entregues ao passar lento e assustador do tempo. Posso dizer-vos com alguma vergonha que um dos jardins centrais de uma cidade chega a ter "relva" da minha altura. Os percursos artificiais de água com repuxos e essas coisas giras viram uma aula de canalização gratuita. Se acham que Chernobyl é a mais assustadora cidade fantasma é porque nunca cá puseram os pés em Fevereiro.
No verão só apetece morrer quando as nossas estradas (de qualidade inquestionável, hum?!) estão entupidas de gente que se lembrou de ir para a praia toda ao mesmo tempo. Gente essa que buzina e barafusta com tanta convicção que terá mais probabilidade de ter um enfarte naquela tarde do que durante o trabalho. É o charme das férias no Algarve que tantas fotos gera no instagram e tantas histórias embaraçosas guarda para a posteridade. 

3 de maio de 2016

Porque este lugar é vosso.

De vez em quando fui ouvindo "dá um up ao blog!", "está muito sem graça, muda isto", "faz dieta ou usa uma burca". Ignorei a última e fui fazendo ouvidos de mercador às primeiras. Só que o que era um zumbido lá ao fundo passou a ser tão presente que não consegui deixar para lá mais tempo.
Eu própria tinha noção que o blog não estava bonito, não tinha a minha cara ou a cara que queria que vocês vissem. 
Então, agora que ainda me encontro a celebrar o 1º aniversário da página (eu festejo as coisas com calma, ok? isto é capaz de pegar com o natal, não sei...) e porque recebi mais um comentário delicioso que pedia a remodelação, não fui capaz de adiar mais. 

Fui falar com a Joana que aprendeu a lidar com um macaco para fazer este trabalho. Sacrifícios... O macaco, nestes assuntos, sou eu. Não percebo nadinha disto e preferi deixar-lhe a cargo praticamente todas as ideias e também todo o mérito. Só lhe pedi simplicidade.
Cheguei até ela com postura de mãos nos bolsos "faz-o-que-quiseres" mas acabei tão entusiasmada com o assunto que até quase sou capaz de dizer que tive um sentimento. O cubo de gelo teve um sentimento. Ou estou velha ou mudada. *rezando para que seja o peso da idade*

E é isto. Mudamos a aparência do blog mas agora nem tão cedo me venham pedir coisas. Fechei a loja. Talvez ponha uma florinha junto ao nome quando for avó e não digam que vão daqui. 

Vá e também não digam que imitei quem quer que seja. Há blogs a nascer, a morrer e a mudar todos os dias. Se há blogs com uma cara parecida à do meu é porque se calhar as autoras também são parecidas. Mas eu sou mais bonita, ok? Sempre a mais bonita! ahah

Se me dei a estas alterações é porque gosto muito de vos ter por cá. 

Espero que gostem tanto como eu. Mas gostem mais de mim, 'tá? Não queiram aqui uma cena de ciúmes... Não ia ser bonito.

MariaDaniela

2 de maio de 2016

Os meus truques para uma manhã mais feliz!

Já disse por aqui que sou muito bem disposta pela manhã. Aliás sou o dia todo e mesmo que às 9h se cruzem comigo e a pestana ainda esteja a meio abrir eu faço logo uma novela e ponho toda a gente à minha volta a sorrir. Estar bem não é estar com um sorriso Pepsodente pendurado no nariz é simplesmente encarar o dia de forma positiva. 
Os meus truques para nunca parecer um trapo velho são qualquer coisinha como isto.

- Um duche ajuda a despertar melhor.
Já testei e se não tomar uma bela banhoca de manhã é facto que demoro muito mais a acordar. Mal o despertador toca, é levantar a bunda da cama e ir deixando um rasto de peças de roupa até à casa de banho. Acho que toda a gente adora tomar duche e se se aliarem a produtos muito cheirosos têm o vosso pequeno momento relaxante do dia. Comigo resulta!



- Pequeno almoço de campeão.
Antes bebia uma caneca de leite e seguia caminho, até que um dia tinha mais tempo e fiz uma torrada. Bem, fiquei com muito mais energia, quase fui a voar para o trabalho e comecei a despachar coisas chatas com outro ânimo. É a refeição mais importante, já sabem, e mesmo que (se forem como eu) não tenham paciência para andar a esmagar bananas e fazer panquecas ou tigeladas de cereais e frutas, comam uma coisa que gostem, que vos anime e vão ver que saem de casa capazes de se cruzar com o Gustavo Santos e não terem vontade de o cortar aos bocadinhos.