30 de novembro de 2015

O meu melhor tónico é água... de rosas!


Verdade!
Testei vários tónicos na busca daquele que me limpasse as impurezas da pele e que não deixasse resíduos próprios do produto. Pois bem, experimentei um adequado a peles mistas e oleosas e quando terminava a limpeza da pele mais parecida que tinha feito uma plástica: a pele ficava tão a repuxar que se virasse a cara, o canto da boca esticava. Porreiro. Depois testei um que pertencia a uma linha de combate às primeiras rugas. O resultado? Zero. Depois de o utilizar tinha de ir retirar a camada de óleo que me tinha deixado na pele. Um outro para peles normais simplesmente não limpava. 
Como consequência fui perdendo a fé em tónicos adequados a esta linda fronha que vocês já não vêem há tempos por aqui. Usava desmaquilhante, gel de limpeza ou exfoliante e pronto.

Até que por qualquer motivo que não a limpeza do rosto, comprei uma embalagem de água de rosas. No rótulo dizia "Limpa e refresca a pele." e eu que tenho por hábito testar imensos produtos na cara, pensei Why not?!
A verdade é que tenho usado na preparação da pele antes de me maquilhar (o que faz com que a produção de sebo seja retardada) ou antes de ir dormir e sem aplicar mais nada e noto imensas diferenças.
Em primeiro lugar (e para mim o mais importante) deixei de criar aquelas borbulhas pequeninas, que quase parecem reacção alérgica mas não são. O que significa que limpa eficazmente a pele e a sua composição não reage com o meu tipo de pele. 
Em segundo lugar, a minha preocupação em manter a minha rotina de cuidados, tanto de cabelo (falei aqui) como de pele, o mais clean possível. Evitar produtos fortemente compostos por químicos e que, tendo alternativas mais saudáveis, são postos de parte com muita facilidade.
Os tónicos são produtos muito complexos com inúmeros elementos a compor a sua fórmula. Vejam este exemplo:


Então, naquilo que posso, é destas listas intermináveis que eu fujo.
A água de rosas pode ser comprada em qualquer hipermercado por menos de 1€.
Quem quiser pode fazer a sua própria água em casa.
A Mónica Lice do Blog Mini Saia dá a receita aqui
 Por outro lado, devo advertir-vos que para peles maduras esta opção pode não ser adequada ou suficiente. A pele tem outras necessidades. Porém, pelo menos até aos 30 acho que é usar e abusar sem medos.

Eu adoro esta alternativa mais natural! A minha pele agradece na hora! Testem e contem-me tudo!

Um beijo,
MariaDaniela

26 de novembro de 2015

Xmas Wishlist #1 : Makeup!

Chegou a altura mais fofinha do ano: A da Pedinchice!!! 
Sou licenciada em choramingar e mestre em olhinhos de carneiro mal morto! Nesta época do ano eu viro uma besta chata. Se durante todo o tempo poupo ao máximo a minha progenitora, chegam estes dias e o que mais se ouve é "oh mãããããe, sabes o que é que eu adorava mesmo muito que me oferecesses?" e começa a lista interminável de coisas. 
Este ano, nós família optámos por não oferecer NADA. Vamos estar juntos, porque pensamos que é esse o espírito de natal. Então, o dinheiro que íamos gastar em presentes direccionamos para algo para nós mesmos.  É como uma prenda de todos que fomos nós que escolhemos. (Eu e a cota já decidimos que as nossas prendas vão ser compradas em época de saldos. Somos alentejanas, sabemos esperar! ahah) Se se gerar algum tipo de frustração voltamos à prática habitual.
Então, esta lista não faz muito sentido. Aliás, ninguém (dos meus próximos) sabe da existência deste blog por isso ninguém vem aqui tirar ideias. 
Mas assim é uma forma de eu organizar a minha lista de desejos, que vou expôr aqui os seus ítens principais separados em: Makeup, Cuidados e Roupa e Acessórios. 


Começando pela maquilhagem, área em que não invisto muito dinheiro. Vejamos!

1. Já vos falei que quero muito comprar esta base, a Born This Way da Too Faced. Cobertura leve e efeito acetinado. Ando a tentar tratar melhor da minha pele para que ela fique bonita com pouco esforço. (Estou a falar da pele, hum? Com a fronha toda não há nada a fazer! ahah) Temos tudo para ser as renas mais felizes juntas. 

2. Por favor, deixem o nº13 dos Cream Lip Stain da Sephora em paz!!!! Eu só quero um! Vá lá... Está sempre esgotado e eu fico raivadona só de pensar. Mas a cor é linda e nem que espere 50 anos mas um dia vou ter o meu! Ai vooou!

3. A Genius! Base em pó, coisa que nunca experimentei e que promete ser primer, base, corretor e pó. É barata e tão bem falada que até fico com comichões só de pensar que ando nisto há tanto tempo e ainda não a tenho. 

4. A Delicate Nudes da Sephora. A It Palette com tons tão neutros e suaves que nem é preciso pensar quando a estamos a usar. Também é super acessível mas se viesse cá para casa a custo bola ainda saberia melhor!

5. Se é para pedir, eu peço! O Touche Éclat! Este produtinho da YSL é dos melhores iluminadores do mercado e tem tudo para ser fantástico. Menos o preço. Não sei se algum dia seremos família mas amor não lhe ia faltar (e muito uso!!).

6. A pedinchice no seu auge. Esta colaboração da UD com a Gwen Stefani resultou numa paleta divinal. Sabendo que a qualidade dos produtos da marca não desiludem, uma pessoa até fica de lagriminhas nos olhos só de pensar que talvez nunca entremos em contacto. Que é perfeita ninguém pode dizer o contrário.

Contem-me que produtos de maquilhagem gostavam mesmo mesmo de receber este natal! E quais são as vossas melhores técnicas para conseguir que alguém vos ofereça esses miminhos!! :P

Um beijo,
MariaDaniela

25 de novembro de 2015

O meu Super Herói!

Antes de mais, por favor encontrem diferenças nas duas imagens que se seguem:


É que para mim são exactamente iguais!!!
ah ah ah ah

Este saco de pulgas que foi abandonado (contei a história dele aqui) já vive connosco em casa! Foi castrado e agora está em competição comigo para ver quem é o mais balofo.
A maior luta tem sido a aceitação da presença dele por parte da gata Maria, mas acredito que com tempo a coisa vá ao sítio.
Em compensação, tanto a Maria como o Super-Gato adoram o Rodolfo e assim que o apanham fora da gaiola é uma festa!
Uma casa com bichos é uma casa feliz. 

Um beijo,
MariaDaniela

24 de novembro de 2015

O Privilégio.

Às vezes é preciso relativizar. Suavizar a realidade aos nossos olhos. Deixar de ver apenas os problemas e olhar com olhos de ver para aquilo em que temos sorte.
Eu tenho sorte. Tenho muita sorte. Aliás, sou abençoada.
Sou estupidamente agarrada ao mar. O mar que é a mão que dá e a que tira. O mar que tanto é calma como revolta. 
No Alentejo vivo bem perto d'água. Entre praias mais ou menos conhecidas, portos de pesca e recantos desconhecidos para a maioria, é por aqui que o raciocínio volta a funcionar sem problemas. 

Quando estou no Algarve não tenho esta proximidade. Nem o mar é o mesmo. Faz-me falta o ruído profundo da agitação das ondas, o vento e o cheiro.
Faz-me falta a praia, mesmo no inverno. Mesmo quando o sol não aquece mas ilumina e abrilhanta até as pedras mais desgastadas pela pancada do mar, furioso.
Esta que vos mostro em seguida é um recanto pequenino. Familiar. Tenho aqui as melhores memórias. Foi aqui que pela primeira vez pensei que ia partir os dentes da frente. Desde então, é uma constante. Para aqui, vêm as vedetas da tv, os habitantes da terra e os turistas que procuram paz. Quem quer aparecer na capa da TV Guia não tem sorte por estas bandas.
É pela tranquilidade que este cantinho conquista as pessoas. Não há rede nos telemóveis, apenas sossego.





Não vou dizer que quem me tira esta praia me tira tudo... Mas sobra muito pouco.

Um beijo,
MariaDaniela

23 de novembro de 2015

Burgundy and Brown, pleaaase!





Duas cores que adoro juntar. Não sei se é comum, não costumo ver muitos outfits com estes tons. Não me interessa. Há uns tempos, a vaguear no Pinterest encontrei uma imagem de uma rapariga com uma túnica em tons ameixa e um lenço de linho castanho claro. Apaixonei-me e a minha vida mudou.
Uso diversas vezes nas mais variadas ocasiões. Principalmente nesta, em que tive de me obrigar a vestir e sair de casa. Mesmo que seja para ir direitinha ao sítio que mais me acalma. Disso falarei no próximo post.

A camisola de malha com uma textura fantástica e o lenço de estilo amarrotado criam alguma complexidade no entanto não deixa de ser uma combinação bem simples.
As botas foram aquisição nas últimas compras (falei delas aqui) na Marypaz. São super confortáveis, numa imitação de pele e camurça. O cano é alto mas não muito, nas minhas pernas mais parece cano médio, o que acaba por contrariar as High Knee Boots que tanto se usam agora. Gosto muito delas! Nem me lembrava do quão eram fofinhas porque estiveram fechadas na caixa este tempo todo. Mas isso acabou! Aliás, são mesmo perfeitas porque são muito espaçosas na parte do pé e dá para as calçarmos mesmo com meias mais quentinhas! Depois mostrarei em fotos com melhor qualidade.

E pronto, tivemos de nos render ao frio. No sul, tivemos um enorme verão de S. Martinho mas já lhe tivemos de dizer adeus. *snif snif*
O que têm usado para contrariar o frio que chegou sem bater à porta? Contem-me coisas!

Camisola: C&A
Lenço Parfois
Jeans: Salsa - Modelo Secret
Botas: Marypaz

Um beijo,
MariaDaniela

20 de novembro de 2015

É Amor mesmo que não seja Correspondido.


O meu lado lamechas anda a querer chamar a atenção. Então, que lhe seja dado protagonismo, com um bocadinho de cérebro pelo meio.

Não sei se é só da minha geração e seguintes, mas há assuntos do coração que são tratados com uma leveza surpreendente. Hoje terminam uma relação e para a semana já são vistos de mãos dadas no shopping com outra cara metade. Não concordo porque na maioria das vezes não foi feito o luto.
"Mas ninguém morreu, Daniela", dirão vocês.
Morreu sim. Acabou uma fase da vossa vida. Sabem que todos os dias estamos a construir a nossa história?
Morreu quem vocês eram com aquela pessoa. Tem de se observar e manusear o sentimento que existia e o que ficou. Aí, arruma-se tudo em "caixinhas" na nossa cabeça. E avançamos. O luto está feito. 

Acredito que todas nós tenhamos assuntos por tratar com alguém do passado. Que quando vemos essa pessoa, os sentimentos andam tontos à bulha uns com os outros e nós não sabemos se odiamos, amamos ou desprezamos esse ser humano. 

Normalmente, essa caixinha por arrumar tem que ver com um amor não correspondido.
Conto-vos porque tenho esta maneira de ver as coisas.
O meu primeiro namoradinho deixou-me após 3 longos meses de relação. Ao fim de 5 anos (!), voltou a aproximar-se e agora com uma distância de 300 km entre nós, quis voltar a tentar. Ambos sabíamos que tínhamos tudo para ser um casal épico. Podíamos conquistar o mundo e as nossas personalidades encaixavam como palavras bonitas em promessas de amor. Só nos faltava uma coisinha: amor.
Voltou a não dar. Ambos temos pena por ser assim. Eu, que não tinha tudo estruturado na minha cabeça quando ele voltou, fui quem sofreu mais. Porque não sabia o que estava a acontecer. Não fazia a mais pálida ideia do que sentia.
Aí, criei uma caixinha onde cabia respeito, carinho, calma e ele. A essa caixinha chamei "Passado".

E é isto que vos quero transmitir. Que percam o vosso tempo a pensar no que falhou, no que vos afastou. Não é preciso ter pressa, não é com outro amor que vamos esquecer o anterior e sarar as feridas. Se tudo não estiver estruturado vão sentir-se confusas assim que ouvirem falar no nome dele. Assim que um desconhecido tiver o mesmo perfume que ele. Assim que um telemóvel de alguém tenha o mesmo toque que o dele. 

O mesmo serve para quem não foi amado por quem amou. Pensar, mastigar, digerir tudo e associar um sentimento claro a essa pessoa. Não é vergonha passar por um desgosto destes. Merece tempo para ser pensado, para ser chorado, para virar passado. Faz-nos falta e dá-nos fibra. Torna o coração mais leve.
Porque é amor na mesma. Mesmo que não seja correspondido.


Um beijo,
MariaDaniela

19 de novembro de 2015

O meu cabelo é liso e fino. E agora? #4 - Hidratação

Ter um cabelo fino normalmente envolve oleosidade. No entanto, ter as raízes oleosas não impede que as pontas espiguem e sequem. Infelizmente.
Acho que devemos ser sempre optimistas e ver o lado bom das coisas. Se o nosso cabelo não é seco (tipo palha d'aço) devemos apostar em tê-lo sempre brilhante e com as pontas impecáveis, já que volume e definição não é a nossa cena.

Tenho a sorte de ter um cabelo que cresce muito (Dizem que tem que ver com a alimentação. Claro! Aqui só se comem vegetais e peixinho grelhado! *cof cof cof*) e que é muito leve.
Gosto do cabelo que tenho e por isso tento tratá-lo bem. Mas para mim "bem" não significa afogá-lo em produtos. Ora atentem.

A altura em que o nosso cabelo mais sofre é no verão. Aclara e seca. Nesta estação do ano é importante fazer máscaras de hidratação. 
Podem comprar as vossas máscaras preferidas em hipermercados ou parafarmácias e simplesmente aplicá-las. Se sentirem que é necessário podem intensificar o seu poder de nutrição adicionando uma colher de azeite ao produto que vão usar ou outros produtos de reparação como as ampolas de que já todas ouviram falar, da Pantene. 
A regularidade deste ritual deve basear-se no estado do vosso cabelo. Eu nas estações quentes fazia de duas em duas semanas, mas é convosco.

Também tenho sempre o cuidado de quando estou exposta ao sol (praia!) fazer um daqueles coques improvisados de forma a encobrir as pontas junto ao elástico e assim haver uma menor afectação solar. Acreditem que ajuda.

Por fim, talvez a questão mais polémica. Eu lavo o cabelo todos os dias. Nunca usei champô seco (mas quero experimentar) porque gosto muito de ter o cabelo brilhante e leve, sem artifícios. 
Lavar o cabelo com esta regularidade não tem consequências negativas porque eu não uso champôs de tratamento. Lavar os fios diariamente só com produtos de uso regular. Palavra do meu dermatologista querido. 
Desta forma, com champô para dar brilho ou volume e condicionador para hidratar, o meu cabelo aguenta largos meses (mesmo atravessando o verão) sem precisar da tesoura assassina. Mas eu não tenho medo dela, como podem ver aqui.
Atenção, que não estou de maneira nenhuma a tentar incentivar-vos a lavar os vossos cabelinhos todos os dias. Ajam de acordo com as vossas necessidades. Somos todas diferentes.

Agora, uma coisa que tento dispensar ao máximo: químicos e mais químicos!
Não uso óleos nem cremes para desembaraçar (trato disso no banho com o condicionador), para dar brilho, para dar suavidade, para cheirar bem, para cantar o hino. Nada disso.
Tenho um óleo, que gosto de ir mudando, para proteger do calor quando uso secador e escova circular. Como isto acontece pontualmente, estes produtos duram muito e não me encharcam os fios de fórmulas manhosas. 

E é isso. Mantenho esta postura ao evitar muitos produtos capilares e tento protegê-lo naturalmente. A última vez que o cortei foi em Abril, pela altura dos meus anos, e até agora continua muito bonitinho, com as pontas suaves e nadinha espigadas.
Em poucas palavras, acho que o meu "segredo" é não complicar!



Contem-me as vossas histórias e os vossos dilemas capilares, que estão fartas de ouvir dalar dos meus!

Um beijo,
MariaDaniela

18 de novembro de 2015

É útil, fofinho e solidário!


Aqui me confesso. Cada vez que ouço alguém dizer que saíu um novo livro fantástico de receitas sobe-me a febre e digo para mim em nervos: É desta que eu vou comprar um bom livro e me vou tornar a masterchef mais malina de sempre!!
Nunca acontece. Isso e não engordar 3 kg no Natal. Promessas.
Agora este livro precisava mesmo de ter. Por estar a ajudar assim que ele apitasse na caixa do hipermercado. Custa 2€ e metade do valor reverte para projetos de promoção da saúde materno-infantil nos centros de saúde.
Ainda não recriei nenhuma receita e o fantástico é que, para além de eu nunca ter feito nenhuma das que aqui estão dentro, não são necessários ingredientes manhosos. Extrato de rosa azul da Escandinávia, caril do Sudão do sul, queijo de uma cabra malhada, uma ponta de cabelo de uma virgem da Rodésia. Nada. Só coisinhas que temos em casa ou que encontramos facilmente. 


É uma óptima prendinha de Natal e a mim vai salvar-me! Sim, há dias em que somente o que me sai é bife de frango com cogumelos e massa. E... Tenho muitos dias desses.
Entendem o meu encantamento, certo?
Acho que é uma fantástica compra mesmo que seja para nós porque tem aqui ideias incríveis. Ouçam esta gulosa comilona que vos fala.

Um beijo,
MariaDaniela

16 de novembro de 2015

O que muda quando temos um blog?

Pergunta fácil. Adquirimos um novo hobbie. 
Não sou extremamente presente nem pretendo fazer vida disto. Longe disso. Aliás, se me quiserem mandar uns produtos para testar tudo porreiro, agora se me quiserem associar a uma marca ou causa que não se identifica comigo, acreditem que sou eu quem paga para NÃO o fazer. 
Mas a verdade é que gosto dos contactos que se criam, das amizades virtuais que muitas vezes parecem mais genuínas e sinceras do que as que envolvem a nossa presença física. 
Gosto disto. E gosto que, sendo muitos ou poucos os seguidores, alguém se identifique comigo. Sabe bem. 

Não criei o blog para massajar o ego. Não sou a mais gira nem a mais bem vestida da minha aldeia. Há tempos uma rapariga disse que gostava de aqui vir porque a "autora" não é 86-60-86, é real. E que com umas coxas de fazer inveja a muitos presuntos e uma pancinha que nos faria aguentar um inverno a hibernar não temos de dizer "Isto não é para mim." à moda, às tendências. É por isto que vale a pena.

Mas algumas coisas mudaram p'ra caraças.
A principal é do mais básico que há. Saber comentar e saber dirigir-me a alguém.
Quando uma pessoa se expõe (pelos motivos que bem entender, sejam eles uma partilha de experiências ou a tentativa de alcançar a fama) nunca nos podemos esquecer que esse alguém tem braços, pernas e inseguranças como nós. Se não gostar da publicação fico calada, se tiver opinião diferente da da blogger partilho-a sem melindrar ninguém, se não gostar de um outfit falo nas coisas que (a meu ver) foram bem conjugadas. Não ganho pontos extra nem a minha barrinha da vida cresce se disser a alguém que mais valia pegar fogo ao guarda-roupa. Isto não é um jogo. Antes de virar uma publicação, tudo é pensado e repensado. Que se dê mérito a quem nos deixa entrar na sua vida e não se atire tantas pedras. 

Mas é importante comentar, porque sem feedback o autor fica às cegas. Ter muitas visitas diárias pode significar que se é muito bom ou que o conteúdo é tão mau que anda toda a gente a rir dele.

Também percebi que enquanto "escritora" sou uma seca. Credo! Eu que, modéstia à parte, até sou uma moça dada à paródia, se os meus amigos lessem este blog iam achar que me tinham transplantado um cérebro de uma velha. Acredito que ninguém aqui venha com o pretexto de que "a Maria Daniela é imensamente engraçada!". ahah
Conheçam-me pessoalmente que eu sou gente fixe. E porreira. E humilde! ahahah 

É isso. Ter um blog para mim é partilhar. Falo mais convosco sobre os meus dramas do que com os meus amigos. É metida na concha, a Alentejana. Ter um blog é motivo para conhecer gente de todo o lado, para me inspirar convosco e para saber que a Jéssica de Bragança usaria esta camisola com um lenço e uns saltos altos. Têm noção de quanto isto vale?

Enfim. Se eu daqui a uns meses ou anos andar a ser patrocinada por milhentas lojas chinesas que me mandam peças que eu em casa ainda preciso de fazer bainhas e cortar linhas, atafulhem-me a fronha neste post. A Maria Daniela não é isso.

Para breve, um seguimento deste post, talvez chamado "O que aprendemos quando temos um blog?" e sobre o ligeiramente estranho mundo da blogosfera. Há taaanto para dizer. 



Uma beijoca,
MariaDaniela

11 de novembro de 2015

Na busca da base perfeita!

Como já me podem ter lido em alguns sítios, sou apologista de que não basta uma boa carteira ou um bom casaco. Não é isso que faz o look se usarem roupa que não favorece o vosso corpo e se a maquilhagem estiver muito má. Existem erros que borram a pintura toda.
Acho que devemos investir naquilo que faz exaltar a nossa beleza. Uma mala Prada não combina nadinha com olheiras profundas e pele sem brilho. Acreditem. 
Por isso, já tendo traçado um rumo no que se refere ao meu tipo de roupa preferido e tendo uma visão crítica e direccionada, é hora de conhecer novos produtos e perceber o que melhor se adequa a mim quando o assunto é maquilhagem.



Bem, a verdade é que já testei muitos produtos, conheço bem o meu tipo de pele, sei como enaltecer os meus traços mas a maquilhagem continua a ter mistérios para mim. Por isso, receio sempre comprar produtos caros que depois não sejam tão adequados às especificidades da minha pele como eu esperava. 
Quando digo isto, penso que é perceptível que me refiro a primers e bases.
Já testei várias bases e ultimamente tenho virado as minhas atenções paras os BB e CC Creams. Os que conheço com maior cobertura são da Garnier. Gosto muito e uso frequentemente.
A minha maquilhagem diária é simples e detesto o efeito máscara. Imperfeições disfarçadas e uniformização do tom da pele são as minhas únicas exigências. Pele de boneca NÃO!
Então, ando a pensar investir numa boa base de cobertura leve a média e que se transforme numa segunda pele. As que mais me têm cativado são:

1. Born This Way, Too Faced. (35€) 
Esta base cativa-me especialmente por ser oil-free mas não deixar efeito matte. Promete um acabamento "radiante" e ligeiro. Contém água de côco (funções hidratantes), ácido hialurónico e extractos de rosa. Tenho lido óptimos reviews sobre esta base e as imagens falam por si. 

2. Infallibe 24h-Mat, L'Oreal. (22,95€)
Esta base conquistou a Helena Coelho (do Devil Wears Louboutin) mesmo quando ela já tinha experimentado a Maestro da Giorgio Armani, Dior, UD, NARS, ... Por isso, tem de ser mesmo especial. Também é não oleosa e promete um efeito aveludado e suave ao toque, sobrevivendo à humidade e transpiração. O que me deixa reticente é o facto de ela prometer uma pele matificada. Eu ando a gostar mais de uma pele iluminada (não oleosa) mas pelo preço e pelas promessas... Talvez seja esta.

3. VitaLumière Aqua, Chanel (41,50€)
Efeito segunda pele, FPS 15, textura de "água tingida", luz e vitalidade. Só lhe falta prometer vida eterna. Esta base conquistou milhões de mulheres por todo o mundo. Outras dizem que não compensa o investimento. Eu tenho imensa curiosidade, por ter "tanta" água na composição e pela consequente leveza que deve deixar na pele. 

4. Naked Skin, Urban Decay (34,95€)
Promete deixar a pele respirar e dar-lhe um acabamento semi-matte mas luminoso. Se é verdade que a UD é uma das marcas preferidas das portuguesas (e não só!), também é certo que esta base deve cumprir o que promete. Líquida e com aspecto natural. Parece-me tão bem!

5. Accord parfait Genius, L'Oreal (18,99€)
Por se afirmar 4 em 1 chamou logo a minha atenção. Primer, corrector, base e pó. Nunca usei nenhuma base em pó mas a Denise de Assis (entre outras bloggers portuguesas) usam e falam coisinhas muito bonitas sobre ela. Dizem que dura e que a cobertura se constrói com facilidade. O preço é simpático e o acabamento que promete ser aveludado quase me fazem acreditar no amor à primeira vista.

6. Double Wear Light, Estée Lauder (42,50€)
O corrector desta linha é o meu favorito de todos os tempos. Só por isso tenho a marca em grande estima. Fala numa cobertura média que é resistente ao calor, não gordurosa, com FPS 10 e acabamento natural e luminoso. Os testes indicam que se aguenta 15 horas sem retoques. Perfeito, hum?


Pois bem, meninas, se usam alguma destas bases digam de vossa justiça. Sejam minhas amigas que eu preciso mesmo de uma base em que possa confiar e sentir-me confiante.
Os preços são da Sephora francesa mas não costumam ser muito discrepantes dos nossos.
Contem-me tudo!
Um beijo,
MariaDaniela

10 de novembro de 2015

Sobre o Amor...

Penso que é a melhor forma de o descrever.


Um beijo, 
MariaDaniela




9 de novembro de 2015

Directamente do fundo do baú para o Mundo!

Sou uma sortuda e tenho um pai muito fixe. 
Este grande senhor de ética e valores tem por norma guardar os meus sapatos que eu pretendo deitar fora mas que ele acha que eu um dia vou acabar por precisar. How cute is that?!
Então, durante o fim de semana fui ao baú. Precisava de uns ténis velhos para ir à horta porque as minhas galochas deram o berro. Vi um saquinho velhote e pensei "Vão ser mesmo vocês!" sem saber o que lá estava. Mas não fui capaz! Dentro do saco estava isto.


Comprei estas sapatilhas na altura em que os básicos da Vans estavam super in
Terão oportunidade de ir percebendo que se alguma coisa está em voga eu vou um pouco mais além (se gostar). Foi o caso destes ténis. Com estampa, com tiras em velcro. Comprados em 2008, possivelmente.

Estão em mau estado. O preto já não é assim tão preto e os tubarões com um sorriso malvado estão apagadotes. A barbatana na sola sofreu danos bem como o logo da marca no calcanhar. As listas azuis já viram melhores dias.

Mas voltei a apaixonar-me por eles! Não são tendência? É daí?! Fazem-me falta e não é para ir à horta! O seu ar de teenager, de desleixada tem tudo para dar certo com algumas camisolas e sweaters que por aqui vagueiam.
São super práticos para calçar em 2 segundos e ir deitar o lixo fora.
A sola branca continua muito branca e é isso que faz a diferença para mim! 
Adorava poder comprar uns Stan Smith mas não acredito que isso vá acontecer. Talvez me contente com uns inspirados nesses Adidas fantásticos... A verdade é que só ando a apostar em botas, botins e calçado mais direccionado para o trabalho. Não pode ser.

E é isto! Desafio-vos a dar a volta às coisinhas que andam a ficar encostadas a um canto! Vão ver que se vão voltar a apaixonar! É certinho!
É possível que estes velhotes apareçam por aqui de vez em quando e os anónimos podem perguntar se os encontrei no lixo que eu não me importo! ahahah

Um beijo,
MariaDniela

8 de novembro de 2015

Guess what?!

Uma marca que costumo acompanhar sempre. No entanto, o desejo de ficar com qualquer coisa para mim mantém-se sempre por aí: num mero desejo. 
Claramente acima daquilo que eu me permito gastar com roupa e acessórios, é impossível contornar o design cuidado das peças, que alia sempre uma classe intemporal à contemporaneidade. É difícil falhar com acessórios Guess. 
Acredito um dia ganhar coragem e poupar para poder comprar uma bolsa desta marca. É muito tempo a piscar-lhes o olho. Mas não será num futuro próximo. Penso eu.
Desta marca, é-me sempre mais fácil "vidrar" na joalharia e nas carteiras. Fiquem, então, com uma pequenita seleção de ambas as categorias.
 

(Acima aqui, aqui e aqui. Abaixo aqui, aqui e aqui.)



(Acima aqui, aqui e aqui. Abaixo aqui, aqui e aqui.)

Com esta coleção de bolsas, não pedia mais nada. Não acrescentava, não tirava, ficava assim! Não mexia mais! Mas, ao que parece, o Euromilhões só sai a quem joga (e nasceu com a estrelinha na testa)! Fico-me pelo sonho... Ainda é de graça!

Um beijo,
MariaDaniela

2 de novembro de 2015

2 minutos de "A minha vida é uma m*rda" (Atualizado! Yeeey!)

É a primeira frase que penso quando o despertador toca. Mesmo sendo mentira, é intuitivo pensar que a minha vida é uma bosta e ninguém merece e blá blá blá.

Sei que isto vai virar uma espécie de rubrica por aqui. Sabendo que a minha existência tem sido porreira, há sempre o momento em que parece que tudo o que é chato se sente atraído pelo meu belo sorriso! LOL. 

Hoje, foi um dia mesmo fatela. Daqueles ranhosos demais.


- O meu Super-Gato, de que vos falei aqui, desapareceu. Roubaram-no. O meu pai estava com ele por perto e, num momento de desatenção, três senhoras muito encasacadas levaram o bicho. Já não é a primeira vez que acontece. Durante o verão, um casal decidiu levá-lo para a sua casa de férias (porque o seu pelo lustroso e a sua visível barriguinha denotavam imensos maus tratos) e quando viram que ele era muito irrequieto começaram a querer OFERECÊ-LO às senhoras daquela rua. Como toda a gente sabia que era nosso, voltaram com a maior cara de pau entregá-lo. 
Agora, estamos todos de coração nas mãos, à espera que se fartem dele ou que ele simplesmente fuja. Torçam por ele, boa?

- A minha semana de trabalho devia ter começado hoje. A semana e o início de um novo contrato, de uma nova fase. Mas não. O meu antigo e futuro chefe simplesmente foi de férias e esqueceu-se de tratar de alguns documentos. Este assunto nem merece mais comentários!

- Por fim, o edifício está a entrar em obras e a "minha" equipa vai ter de se mudar durante 5-6 meses para uma sala provisória. A sala está dividida em dois gabinetes e eu vou ficar sozinha APENAS com a ÚNICA pessoa que não gosta de mim. A senhora mais estranha e mais frustrada com que já me cruzei na vida. A sério?! Não havia mesmo mesmo mais ninguém?!


Era só isto. Partilhem, se quiserem, porque é que a vossa vida também é um bocadinho uma bosta! :P


A minha jóia pequenina e peluda APARECEU!!! A minha tia contou-nos que o viu no quintal de uma vizinha nossa e nós (eu e a mãe, rijas!!!) fomos lá bater à porta! Inventou uma história muito contraditória e nós nem ligámos, queríamos era tê-lo no colo. Agora vai passar a viver cá em casa connosco! Obrigada pelas vossas boas energias, eu tenho a certeza que fizeram a diferença! <3 


Um beijo,
MariaDaniela